Hoje a Doutor Resolve vai repassar uma matéria muito importante sobre trincas e manchas de unidade nas paredes, fique de olho nesta matéria que é bem importante.

http://www.equimacon.com.br/novidades.php?id_cat=58&&id=290

No início do mês de Maio a revista Equipe de Obra fez uma matéria bem bacana sobre Trincas e Manchas de unidade, e neste post vamos repassar esta matéria. Quer sejam, simples ou pequenas infiltrações, até mesmo rachaduras expressivas ou quase imperceptíveis, as patologias são normais no curso da vida das edificações. O importante é estancá-las da maneira correta. Antes de se tomar qualquer providência diante de um desses problemas, é necessário identificar a natureza da manifestação, pois o correto procedimento para reparo está diretamente ligado a ela.

O conhecimento da causa de cada ocorrência é essencial para se avaliar se há riscos imediatos ou futuros. Nessa linha, é fundamental que as manifestações de anomalias sejam devidamente examinadas, a partir do momento em que são detectadas.

A seguir, serão apresentados exemplos de alguns procedimentos de acompanhamento das anomalias observadas com mais frequência em edificações: trincas e manchas de umidade.

TRINCAS

Em primeiro lugar, é preciso lembrar que, para as denominações trincas, fissuras e rachaduras, existe um instrumento chamado fissurometro, que é utilizado para medição ou avaliação do progresso de uma fissura ou rachadura. Elas são identificadas e tratadas de formas diferentes, a NBR 15.575 menciona a delimitação e espessura de cada uma delas, como por exemplo: fissura: 0 a 0,5mm, trinca: 0,5 a 5mm e rachaduras: > 5mm, cometa o Engenheiro e membro do IBAPE-SP Gustavo Bicego da unidade Doutor Resolve Centro Taquaral – Campinas / SP.

Para simplificar, aqui se falará em trinca, de forma genérica. O histórico de surgimento e evolução de uma trinca é básico para o diagnóstico. Providências simples podem ajudar muito.

Exemplos:

RISCOS E MANIFESTAÇÕES DAS PATOLOGIAS

O acompanhamento das manifestações e das ocorrências durante certo período poderá fornecer subsídios valiosos para quem for analisar a ocorrência. Também pode indicar o risco associado à manifestação patológica, fundamentando eventuais medidas de emergência. Além desse precioso relato, o diagnóstico deve levar em conta, dentre outros aspectos, a concepção estrutural e construtiva da edificação e de sua fundação, alterações no seu entorno próximo, históricos de manifestações semelhantes em outras obras que empregaram técnicas ou materiais semelhantes etc..

Apenas após o diagnóstico é que poderão ser tomadas decisões acerca do que poderá ou deverá ser feito. A gama de intervenções que podem ser necessárias é muito grande e vai desde soluções meramente estéticas localizadas até recuperações complexas e extensas. A amplitude das soluções por si só aponta para a importância de um bom diagnóstico. Este diagnóstico, por sua vez, depende do estudo da evolução das trincas. Por esses motivos, não é recomendável a adoção de soluções meramente estéticas sem qualquer análise prévia, pois isso pode ocultar aspectos relevantes para apuração de suas causas e até mesmo impedir que ações emergenciais sejam providenciadas em tempo.

MANCHAS DE UMIDADE

Existe uma ampla gama de origens para manchas de umidade, algumas internas à edificação, outras externas. Veja alguns exemplos:

REGISTRAR A EVOLUÇÃO É FUNDAMENTAL

O registro dessas informações durante certo período pode fornecer contribuições importantes para o diagnóstico, que deve considerar, conforme o caso, projetos de instalações hidráulico sanitárias, de captação de águas pluviais, de impermeabilização, de drenagem etc., além de eventuais exames em imóveis ou unidades vizinhas e sistemas públicos, dentre outros.

Feito o diagnóstico, passa-se para a programação das soluções de intervenções para reparo ou mitigação dos efeitos das ocorrências e, por fim, da recuperação estética. Assim como no caso das trincas, somente após correto exame prévio é possível ter prescrição de soluções eficazes para correção ou mitigação das origens das infiltrações e posteriores intervenções estéticas.

Quando se começa a eliminação de uma mancha de umidade pelas intervenções estéticas é muito possível que se esteja desperdiçando recursos, além de prejudicar provas fundamentais para a correta apuração da origem.

Não é anormal que uma mancha tenha mais de uma causa. Seguindo o mesmo conceito exposto para as trincas, o histórico da evolução de uma mancha é de importância vital para o diagnóstico e, consequentemente, para definir as intervenções necessárias. Algumas providências que podem fornecer subsídios importantes para a análise:

Essa matéria foi postada inicialmente na revista Equipe de Obra, segue link de acesso: http://equipedeobra.pini.com.br

Não deixe de acompanhar as nossas dicas e publicações de materiais importantes!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *